sexta-feira, dezembro 01, 2006

Minha mãe

Engraçado, quanto mais o tempo passa, mais eu penso na minha mãe. Lembro muito das conversas, de quando eu dizia que ela precisava fazer coisas para ela, e não só para mim e para minha irmã. Dizia que ela devia comprar uma casa, ou apartamento para ela, e ela sempre respondia que não, que o que era dela, era nosso, e que ela não queria deixar nada material quando morresse, para não deixar problemas...

No fim, ela deixou um patrimônio de duas filhas, um genro, uma neta, muitos amigos e admiradores.

Além de um exemplo de muita força de vontade, de muita vontade de viver, e de viver bem. Com todas as limitações que ela teve ao longo da vida, nunca reclamou. Aliás, não bastando isso, para ter as duas filhas, ela arriscou a própria vida, porque corria o risco de o coração e os pulmões não agüentarem. Mas ela arriscou, e fez valer a pena...

Um comentário:

Alessandra disse...

Oi lindinha,
estava com saudades de você, ando um tanto quanto atarefada demais, meu lindão está se formando na oitava série e sabe é um tal de correr pra ver roupa de tudo, viagem de formatura, colação de grau e tudo mais, mas é muito gostoso...
Fiquei emocionada com suas palavras, já te disse uma vez e direi novamente, sua mãe deve estar cada dia mais orgulhosa em ver o ser humano maravilhoso que você é digo isso mesmo não conhecendo você, pois suas palavras me encantam e imagino a doçura que você deve ser, e pelo que diz, você com certeza é o espelho de sua mãezinha querida...
Fico contente em ver postagens novas tanto por aqui como no Terapia...
Uma linda semana a você, bem doce....beijinhos Ale.